Entrevista – Dra. Carla Carrapiço

1- O que o levou a escolher esta profissão?

O que me levou a escolher esta profissão foi a necessidade de ajudar os outros e de contribuir um pouco para o seu bem-estar.

2- Conte-nos uma história engraçada que lhe tenha acontecido na Farmácia.

Esta é uma das muitas histórias ao longo destes 20 anos e a primeira que me marcou muito. Estava apenas a trabalhar há um mês, quando um utente entrou na farmácia e muito preocupado dirigiu-se ao meu balcão. Abriu uma caixinha e perguntou-me o que era aquilo que tinha encontrado na filha. Para minha surpresa era uma caixa com piolhos. Eu fiquei parada e o meu colega (já muito experiente) apressou-me a fechar a caixa com medo de algum saltar.

3- Se pudesse ajudar qualquer pessoa do mundo quem seria? E porquê?

Embora, a meu ver, todas as pessoas mereçam a ajuda de que necessitam, existe uma faixa etária que me emociona mais. As pessoas mais idosas. Visto que por vezes não têm todos os cuidados e atenção que merecem, sendo muitas vezes abandonados pela própria família.

4- Se não fosse farmacêutico o que gostaria de ser?

Sinceramente eu não me vejo a fazer outra coisa. Na altura foram-me dadas mais oportunidades de emprego mas esta foi a única com a qual me identifiquei.

5- Defina a Farmácia Central do Cacém numa frase.

Farmácia Central, lutamos diariamente para melhorar o seu bem-estar.